rodoviária de bh - inhotim

Morar em Beagá significa uma experimentação em dose dupla: das maravilhas belo-horizontinas e das interessantes cidades que lhe rodeiam. São municípios que são um verdadeiro convite para um “bate e volta”. Por isso, como é um ponto comum, selecionei a rodoviária de Belo Horizonte como referência para produzir este conteúdo.

E se você não é morador de BH, mas está turistando pela cidade e quer aproveitar para dar um pulinho nas cidades históricas próximas, aproveite!

Este conteúdo também foi feito para facilitar a sua vida!

Por que um texto sobre bate-volta nas cidades históricas?

É justamente porque a proposta desse conteúdo é de viabilizar uma viagem rápida. Com isso, fiz a relação das cidades com base nas distâncias delas em relação a Belo Horizonte e entre elas mesmas.

Logo, se uma cidade está mais longe de Beagá que outra, mas possui uma cidade vizinha interessante – como é o caso de Tiradentes e São João Del Rei – ela poderá ter preferência em relação a outra mais próxima da capital.

Adotei esse critério para que você se divirta mais, com a possibilidade de visitar duas ou mais cidades históricas em uma tacada só.

Então leia e divirta-se com as possibilidades!

Sabará: a mais próxima de Beagá

rodoviária de belo horizonte - sabará

Créditos: Wanderley dos Santos Vieira – (CC BY-SA 3.0)

A primeira cidade histórica selecionada é Sabará.

O principal motivo é a proximidade: apenas 19 Km de Belo Horizonte, com um tempo médio de 1h10 de transporte público e de 35 minutos de carro. Sim, apenas meia-horinha.

Além disso, Sabará tem o seu charme: é uma cidade que dá um show de bola tanto na parte material quanto imaterial do patrimônio.

Para começar, a cidade possui um Centro Histórico rico e uma quantidade interessante de histórias e causos contados pelos moradores locais.

E na parte material, suas igrejas possuem traços muito característicos da cultura chinesa, como a de Nossa Senhora do Ó, por conta da influência de Macau, que era colônia portuguesa na época setecentista.

E justamente por Sabará estar muito próxima de BH, a forma de se pegar ônibus é diferente das outras cidades que vou citar. Não é necessário ir até a rodoviária de Belo Horizonte.

Mas este é o único caso, prometo.

E tenho um bom motivo: dei preferência para o trajeto mais barato – sim, existem outros – que é pela linha 4988 (Sabará – Bh).

O ponto fica na Rua Caetés, 457, no Centro de Belo Horizonte.

Para ser exato, este ponto fica entre a Rua São Paulo e a Rio de Janeiro, que cruzam com a Rua Caetés.

Para voltar de Sabará é bem tranquilo, já que a cidade possui vários pontos por onde passa esta linha.

Resumo:

  • Distância: 19 Km;
  • De carro – 35 minutos;
  • De ônibus – 1h10 – (LINHA 4988);
  • Onde pegar: Rua Caetés, 457 (Centro BH).

Rodoviária de Bh – Brumadinho: aqui o ônibus sai da Rodoviária de Belo Horizonte

rodoviária de belo horizonte - brumadinho

Créditos: Wanderley dos Santos Vieira – (CC BY-SA 3.0)

Sim, dessa vez se pega o ônibus na Rodoviária de BH.

E o trajeto é bem rápido. Ainda que o tempo seja mais esticado que para Sabará, é perfeito para um “bate e volta”.

Principalmente porque Brumadinho é rica em cultura e natureza, o que compensa bastante o mínimo esforço da viagem.

E para animar, aqui vão as dicas.

Algumas de suas principais atrações turísticas são a Estação Ferroviária – inaugurada no início do século XVIII – e a Igreja de Nossa Senhora da Piedade, que é remanescente do período barroco.

Essa matriz possui elementos da arquitetura colonial bem destacados, ainda que com sua charmosa simplicidade.

E Bumadinho também faz bem para quem gosta de belas paisagens.

Nessa cidade, a natureza se manifesta com toda a sua exuberância em territórios preservados, como o Parque do Rola Moça e o Pico dos Três Irmãos.

Para se chegar à cidade, basta pegar o ônibus na rodoviária de Belo Horizonte:

Seguem os dados:

  • 55 km de BH;
  • Tempo de viagem de ônibus – 1h40;
  • De carro – 1h30;
  • Empresa que realiza o transporte: Saritur – (31) 3272-3512 ou 0800 039 8846.

E para arrematar essa parte do conteúdo, é preciso fazer um complemento fundamental.

Existe uma atração ímpar em Brumadinho e que não pode ser esquecida. Na verdade, merece ser destacada:

Inhotim: um grandioso museu de arte a céu aberto

rodoviária de bh - inhotim

Créditos: Francisco Boratto – (CC BY-SA 4.0)

Inhotim é certamente a atração mais famosa de Brumadinho.

O museu é espetacularmente grande e com obras realmente diferenciadas: o paisagismo é incrível e nele a arte e a natureza se misturam.

É pura imersão no universo de grandes artistas plásticos.

Ah! E tenho uma ótima notícia para você que pretende fazer o “bate e volta” direto da rodoviária de BH para Inhotim. Existe um ônibus exclusivo, que leva diretamente ao museu.

O transporte é feito de terça a domingo, às 8h15.

Seguem os dados:

  • 59 Km de BH;
  • De ônibus – 1h10;
  • De carro – 1h30;
  • Empresa: Saritur – (31) 3272-3512 ou 0800 39 8846;
  • Dias de funcionamento: terça a domingo.

Valor do ingresso para o museu:

  • Quarta-feira – exceto feriados – entrada é franca;
  • Nos demais dias o valor é de R$ 40,00.

Horários de ônibus – direto para Inhotim

  • Terça a sexta: 16h30;
  • Sábados e domingos: 17h30.

Mais um ponto: se você preferir conhecer Brumadinho e depois visitar Inhotim – o que é altamente recomendável – existem ônibus circulares para o museu, dentro da cidade.

Congonhas: para quem aprecia um conjunto arquitetônico de excelência

rodoviária de bh - congonhas

Créditos: Cássia Marquez – (CC BY-SA 3.0)

Congonhas é destino obrigatório nesse circuito histórico.

E não é para menos. O conjunto arquitetônico do Santuário de Bom Jesus de Matosinhos – criado por Aleijadinho e atestado como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco – é a maior prova disso.

Além disso, a cidade possui um Centro Histórico grande, com igrejas interessantes e o Museu de Congonhas, que exibe elementos históricos da cidade e da arte sacra no município.

Vale a pena ressaltar que o museu é moderníssimo e que, mesmo utilizando de recursos tecnológicos de última geração, consegue compor com o conjunto arquitetônico de Congonhas, sem divergir da estética barroca.

Por isso, vale a pena dar uma conferida.

Para chegar na cidade:

  • 79,5 km de BH;
  • De ônibus – 1h30;
  • De carro – 1h35;
  • Empresa: Viação Sandra – (31) 3201-2927.

Ouro Preto: da rodoviária de BH para um paraíso histórico

rodoviária de bh - ouro preto

Créditos: Rodoluca – (CC BY-SA 3.0)

Ouro Preto sempre será uma excelente opção. Tem ótimos equipamentos turísticos, guias de turismo capacitados e seu patrimônio histórico é respeitado no mundo inteiro.

E mesmo não estando tão perto de BH como as outras cidades citadas, é uma ótima opção.

E para começar as andanças, bem no Centro de Ouro Preto – que fica a aproximadamente 1 Km da rodoviária – já se podem encontrar monumentos interessantes, como a Escola de Minas e o Museu da Inconfidência.

E se você andar mais um pouquinho, vai encontrar a feira de pedra sabão, que é uma beleza.

E se , por acaso, você ficar vislumbrado com a beleza da cidade e com a quantidade de atrativos que ela oferece, poderá tranquilamente pernoitar por ali.

Afinal, quando se trata de Ouro Preto, o assunto pernoite casa muito bem, mesmo se tratando de um texto sobre “bate e volta”.

Principalmente porque a vida noturna na cidade, sobretudo aos finais de semana, não deixa nada a desejar.

E para acomodar bem os seus visitantes, Ouro Preto oferece meios de hospedagem para diversos gostos e valores.

Para facilitar, seguem os dados de transporte:

  • 96 km de Beagá;
  • De ônibus – 1h45;
  • De carro – 1h34;
  • Transporte: Viação Pássaro Verde (31) 3073-7575 ou (31) 3073-7000.

Mariana: de Ouro Preto para Mariana é somente um pulinho

passagem de onibus para Belo Horizonte - Mariana

Créditos: Alexdinhohd – (CC BY-SA 3.0)

E fica o convite principalmente para quem está pretendendo passar por Ouro Preto, com o reforço do pernoite.

Faça um favor a você mesmo e visite Mariana. O tempo de chegada de uma cidade para outra é de 30 minutos (15 Km). A cidade é belíssima e possui um conjunto arquitetônico muito bem preservado.

Possui obras interessantes do rococó e de grandes artistas, como Mestre Ataíde.

A própria Ufop (Universidade Federal de Ouro Preto) está inserida nesse contexto.

Um de seus campi – o Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) – tem uma charmosa capela do século XVIII. Seu teto foi pintado por Mestre Ataíde. Uma beleza!

E como este texto é para facilitar o conhecimento das cidades históricas de Minas, vou explicar como chegar a Mariana por Ouro Preto ou de Beagá para a Primaz.

Para se pegar ônibus de Beagá para Mariana, a viação é a mesma que faz o transporte para Ouro Preto, a Pássaro Verde.

Os ônibus são frequentes, com transporte ao longo do dia. Logo, para comprar a passagem de ônibus para Belo Horizonte ou para Mariana, é o mesmo processo de Ouro Preto.

Mas se você quiser fazer o translado de Ouro Preto para Mariana, é possível pegar intermunicipal nas rodoviárias ou no próprio Centro Histórico das duas cidades.

Nem precisa comprar passagem. É muito prático, acredite!

Resumindo:

  • 177 km de Beagá;
  • De ônibus – 2h15;
  • De carro – 1h58;
  • Transporte: Viação Pássaro Verde (31) 3073-7575 ou (31) 3073-7000;
  • 15 Km de Ouro Preto;
  • 30 minutos de Ouro Preto.

Rodoviária de Belo Horizonte – Tiradentes: uma rápida passagem por um charme de cidade

Rodoviária de Belo Horizonte - Tiradentes

Créditos: Adelano Lázaro – (CC BY-SA 4.0)

Tiradentes fica em um ponto um pouco mais distante de Beagá, mas citá-la aqui certamente vale a pena.

O motivo é simples: é vizinha de São João Del Rei e seu Centro Histórico é extremamente bem preservado.

Tiradentes é uma cidade que mantém seu patrimônio material muito bem cuidado até nos distritos.

O distrito de Bichinho, por exemplo, possui restaurantes saborosos e artesanato bem desenvolvido, que em grande parte movimenta a vida econômica da cidade. Vale a pena conferir!

Vale também a pena ressaltar que a produção de cachaça na região é forte e que a culinária é impecável.

Certamente, Tiradentes oferece uma gama diversificada de apreciações.

E dentre essas possibilidades podem ser citadas aquelas do patrimônio material, como as igrejas e museus, e as do imaterial, como o artesanato e a culinária.

E para chegar a Tiradentes pela Rodoviária de Belo Horizonte, o nosso ponto de referência, basta entrar em contato com o guichê da Viação Sandra.

Seguem os dados:

  • 190 km de Beagá;
  • 3h30 de viagem;
  • Transporte: Viação Sandra: (31)3201-2512 ou (31)3201-2927.

São João Del Rei

passagem de onibus para Belo Horizonte - São João del Rei

Crédito: Marco Manucci – (CC BY-SA 3.0)

São João é uma das cidades mineiras com um patrimônio arquitetônico material mais bem preservado. A visita a essa cidade é uma verdadeira imersão ao período setecentista.

E o que garante essa viagem ao passado é o próprio conjunto arquitetônico do município, que é muito grande e bem preservado.

Ah! Apenas reforçando, São João fica a meia-horinha de Tiradentes.

Então, por favor, se você for visitar uma das duas cidades, vá turistar pela vizinha. Vale a pena.

As duas cidades são igualmente belas e interessantes, cada uma com as suas próprias peculiaridades e charme de cidade histórica.

E uma das formas mais fáceis e lúdicas de se fazer isso, é pela Maria Fumaça, que é um raríssimo trem a vapor que liga as duas cidades.

E veja bem, essas dicas de visitação às cidades vizinhas, é uma forma que indico para se economizar a passagem de ônibus para Belo Horizonte e para essas mesmas paragens.

E, além de poupar no bolso, pode se considerar também o tempo que se economiza.

Afinal, nunca se sabe quando haverá uma nova oportunidade para conhecer uma cidade histórica próxima daquela que você visitou.

E se você optar por sair de BH para visitar São João, seguem os dados para você:

  • 190 Km de Beagá;
  • 3h30 (maps);
  • Viação Sandra: (31) 3201-2512 ou (31) 3201-2927
  • Distância de Tiradentes: 25 minutos

Rodoviária de Belo horizonte – Barão de cocais: aconchegante e acessível

passagem de onibus para Belo Horizonte - Barão de Cocais

Créditos: Wanderley dos Santos Vieira – (CC BY-SA 3.0)

Barão de Cocais é uma excelente paragem histórica para se considerar em um “bate e volta”.

Primeiramente, pelas riquezas históricas e naturais que a cidade oferece.

Dentre essas riquezas podem ser citadas a Vila da Mina do Gongo Soco, que foi construída pelos ingleses que se estabeleceram no município no século XIX, e o Santuário de São João Batista, cuja obra é atribuída a Aleijadinho e as cachoeiras locais.

Em segundo lugar, a cidade fica pertinho de Santa Bárbara e Catas Altas, que são outros sítios históricos interessantes.

E existe um adicional se você optar por ficar por mais alguns dias. Barão de Cocais fica a uma hora de Mariana e a duas de Ouro Preto.

Logo, é totalmente possível, com o planejamento correto, conhecer as cinco cidades em uma tacada só.

Isso pode inclusive ajudar na economia da compra de passagem de ônibus para Belo Horizonte e para as demais cidades históricas.

O diferencial de Barão de Cocais é que se trata de uma cidade muito charmosa, com um Centro Histórico bem preservado e com cachoeiras realmente interessantes.

Resumindo:

  • 99 km de BH;
  • De ônibus – 1h55;
  • De carro – 2h;
  • Transporte: Viação Pássaro Verde (31) 3073-7575 ou (31) 3073-7000.

Seja pela rodoviária de BH ou por outro meio, viaje!

Utilizei a Rodoviária de BH como referência para redigir esse texto por um motivo simples: para facilitar a vida de quem gosta ou não de viajar de carro.

Com base nisso, sugiro que utilize a rodoviária de Belo Horizonte apenas como referência para economizar tempo.

Afinal, é da rodoviária de onde partem e chegam quase todos os ônibus que estou indicando nesse texto.

Por isso facilitei, explicando como comprar a ida e a passagem de ônibus para Belo Horizonte para a volta.

Mas, o mais importante em tudo isso é viajar, curtindo o destino escolhido com o máximo de qualidade e autonomia.

E se você gostou do texto, aproveite para compartilhar com seus amigos, companheiro (a) e familiares para animá-los a fazer um bate e volta com você!

Ah! Não deixe de dar o seu like, que serve como uma temperatura para saber se o texto está agradando ou não.

E caso esteja agradando, não deixe de comentar. Se desagradou, comente também. O importante é sua participação!

The author: Fábio Seletti

Jornalista por formação. Empresário de profissão. Paulista de nascimento. Mineiro de coração.

Warning: Cannot assign an empty string to a string offset in /home/wolfdesign/public_html/outrosrelatos.com.br/wp-includes/class.wp-scripts.php on line 454