imagem: Viola de Cocho
cidades históricas

Confira o patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste

Você sabe o que é patrimônio cultural imaterial? Conhece o que a região Centro-oeste do Brasil tem como patrimônio imaterial?

Saiba que não são apenas lugares, edificações, monumentos, das muitas épocas da humanidade, que são considerados patrimônios culturais.

O patrimônio cultural imaterial abrange, por exemplo, tradições, hábitos, saberes, modos de fazer alimentos e instrumentos, bem como festas regionais. Isso também é relacionado como riqueza cultural a ser preservada.

Patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste: tradições rurais e religiosas

A colonização do Centro-oeste do Brasil é um traço que caracteriza o patrimônio cultural dos centros urbanos da região.

É a segunda maior região do país em território e, ao mesmo tempo, menos populosa. Desenvolveu-se principalmente pela chegada dos bandeirantes à procura de minérios e, efetivamente, com o crescimento da agricultura e da pecuária.

Daí, observa-se o patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste relacionado ao regionalismo e tradições rurais e religiosas.

Registros de patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste pelo IPHAN

O IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) é um órgão do governo brasileiro que cuida da preservação e divulgação do que é considerado patrimônio material e imaterial do país.

Na região Centro-oeste, pode-se verificar o registro do ‘Modo de Fazer Viola de cocho’ e a ‘Festa do Divino de Pirenópolis’ como exemplos importantes do patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste.

1. Modo de Fazer Viola de cocho

imagem: Viola de Cocho
A viola de cocho é um grande patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste

Fotógrafo: Paulisson MiuraLicença: CC-BY-2.0

A viola de cocho é um instrumento confeccionado exclusivamente de forma artesanal e com matérias-primas existentes na região Centro-oeste do país.

É feita pela escavação de uma caixa de ressonância, a partir de uma peça inteiriça de madeira. É tocada em festas populares e religiosas em rodas de cururus, dança típica da região. Foi registrado como patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste pelo IPHAN em 2005.

2. Festa do Divino de Pirenópolis

imagem: Festa do Divino em Pirenóp
A Festa do Divino em Pirenópolis é patrimônio cultural imaterial do Centro-oeste

Fotógrafo: Marcos Vinicius Ribeiro dos Santos • Licença: CC-BY-SA-3.0

A festa do Divino de Pirenópolis é considerada a mais importante expressão de religiosidade e identidade popular da cidade e, consequentemente, da região. A festividade tem origem nas práticas portuguesas e adquiriu características próprias na cidade.

Com ritos e encenações, é realizada desde 1819, durante 60 dias, com destaque para o domingo de Pentecostes, cinquenta dias após a celebração da Páscoa.

Durante a celebração, ocorrem inúmeros eventos e festejos: as folias da Roça, da Rua e do Padre, nos bairros e zona rural da cidade. É, desde 2010 pelo IPHAN, como tradição e para continuidade histórica do povo e do lugar.

Gostou? Então venha viajar para as belas cidades do Centro-oeste!

The author: Cida Leal


Warning: Cannot assign an empty string to a string offset in /home/wolfdesign/public_html/outrosrelatos.com.br/wp-includes/class.wp-scripts.php on line 454