Mariana

Conheça o coreto do Jardim em Mariana

Fotógrafo: Paulo JC Nogueira • Licença: (CC BY-SA 3.0)
Quem já visitou alguma praça aqui em Minas Gerais provavelmente já deve ter visto e se encantado com os coretos que as enfeitam. Eu já visitei algumas cidades e conheci seus coretos. Mas nenhum deles me é tão especial quanto o coreto do Jardim em Mariana.

O coreto se localiza bem no Centro Histórico de Mariana, no centro da Praça Gomes Freire. Mas que apenas as placas e documentos formais a chamam assim, para os íntimos a praça se chama simplesmente Jardim. E o coreto nunca passa despercebido.

Era ali que as bandas marianenses se apresentavam ao público e é ali até hoje algumas se apresentam, além de muitas outras vertentes artísticas. O Jardim inclusive fica pequeno no carnaval quando a Incrível Banda toca as clássicas marchinhas de carnaval lá do coreto.

E para entender a importância histórica dos coretos, vamos dar uma passeada pelo mundo:

Os coretos pelo mundo

Fazendo uma explicação mais ampla, os documentos mais antigos que relatam a existências dos coretos datam do século XVIII em um jardim britânico, o belo e mítico “Vauxhall Gardens”. Nele se apresentavam maestros consagrados, bandas populares e até bandas militares.

Logo, a popularização dos coretos na concepção que temos deles surgiram no final do século XIX, no fim da Era Vitoriana. O intuito era de acomodar as bandas de metais inglesa.

Logo, a palavra inglês para coreto é “bandstand”. Em uma tradução mais ao “pé da letra”, seria algo como “suporte para as bandas”.

Bandas de metais são aquelas bandas de instrumentos de sopro onde a ativação é pela vibração dos lábios como os trompetes, tubas e afins. Essas bandas ainda são muito famosas e influentes nas cidades históricas.

Voltando aos coretos, eles são circulares ou em formato de meia lua para proporcionar uma melhor visualização da apresentação da banda ao público. Cada um era construído de maneira diferente. Fosse com pedras ou madeira, telhados altos ou baixos e nas mais diversas cores.

Os coretos possuem um significado político-cultural muito forte, seja pela ideia de liberdade e igualdade. A música ao ar livre alcançava ricos e pobres, velhos e crianças, os cultos e os simples sem nenhuma distinção ao acesso. E esse significado segue forte até os dias de hoje.

Os coretos tem um apelo histórico tão grande no Reino Unido que em 2008 um movimento cultural chamado “Bandstand Marathon”. Foi criado com o intuito das bandas amadoras se apresentarem ao mesmo tempo nos coretos.

Agora, podemos voltar ao coreto em Mariana:

História do coreto de Mariana

O coreto do Jardim de Mariana tem a data de 1937 registrada em alto relevo acima da sua portinhola. Não se sabe se é a data da sua construção, reforma ou de alguma data comemorativa.

Falando na portinhola do coreto, é um detalhe que desperta a curiosidade de muita gente, principalmente das crianças. Embora a parte interna do coreto seja usada para guardar objetos de manutenção do jardim, pouca gente se atina a isso.

Também foi nesse período da década de 40 onde foi construído o passeio (calçada) em volta do Jardim e aconteceu a instalação de luz elétrica.

Dá pra imaginar uma praça sem energia elétrica hoje em dia? Sem os passeios noturnos e os eventos? Provavelmente a falta de iluminação foi um combustível muito forte para o imaginário popular da época. Não havia homem do carro preto para assustar as crianças, mas, com certeza, as assombrações frequentavam o local durante a noite.

Infelizmente eu não sei dizer qual a cor original do coreto. Mas já presenciei nessas minhas duas décadas morando em Mariana duas variações. Uma nas cores branca e rosa e outra nas cores azul, amarela e branca, a atual. Sempre preferi a segunda que a primeira, combina mais com o lugar.

O Coreto do jardim e a população

O coreto do Jardim é talvez a obra arquitetônica de maior uso popular da cidade de Mariana. Ele é uma construção democrática, livre e sem barreiras. É só ir e usar. Também desconheço confusões em relação ao seu uso. Há sempre uma consciência de coletividade e respeito mútuo quando as pessoas sobem nele.

Na minha adolescência passei tardes tocando violão com os amigos em cima dele, ou às vezes só jogando conversa fora. Já me escondi muito da chuva ou mesmo subi só pra descansar a cabeça. Independentemente do que aconteça, ele sempre está lá de portas abertas para qualquer. Aliás, nem portas ele tem.

Todo mundo que mora aqui em Mariana já marcou de se encontrar no coreto do Jardim em algum momento da vida. É um ponto de encontro mais que tradicional, é quase uma marca de nascença do marianense.

Nessa história toda, acho que quem aproveita mais o coreto são as crianças. É visível o prazer que as crianças têm ao subir aquelas escadas tortas e ver tudo lá de cima. O sorriso de satisfação que elas dão quando chegam só não é maior que o grito que elas dão ao chamar seus pais para ver aonde elas estão.

Quando eu era criança acreditava seriamente que o guardinha do Jardim – pois os guardas municipais fazem a ronda por ali – morava lá. Um dia desses que eu estava sentado no jardim passando tempo vi duas crianças de uns 7 a 8 anos brincando e se perguntando se alguém morava lá. A geração muda, mas a imaginação é sempre igual.

Eventos no Coreto do Jardim em Mariana

A função natural do coreto é a música e a arte. É dar suporte para que essa linguagem se expresse e por aqui não é diferente.

Regularmente aqui em Mariana apresentações acontecem. Seja uma apresentação de voz e violão num sábado ou domingo à noite, seja uma banda ou até mesmo um grupo de músicos que deram a sorte de estar passando no mesmo lugar.

Teve um Festival de Inverno, se não me engano em 2007, literalmente todo dia aconteceu uma apresentação em cima do coreto. Quem viveu nessa época aqui aproveitou bastante. Eu estava no começo daquela fase de sair à noite com os amigos e não deixei passar um dia sequer em branco.

Espero que essa grande quantidade de eventos volte a acontecer um dia e o coreto tenha mais destaque no cenário dessa minha cidade.

Um coreto de histórias e amigos

Seja protegendo as pessoas da chuva ou do sereno, ou como abrigo e palco de um violeiro solitário, o coreto desempenha seu papel com elegância e comprometimento. Seja dia de semana, final de semana, a qualquer hora que seja.

São muitas amizades que começam debaixo daquele telhado, momentos inesquecíveis, romances que nascem e horas que se passam. Qualquer um que viveu aqui por algum tempo aqui em Mariana tem alguma história pra contar. Tem um momento pra recordar e um sorriso de satisfação quando se lembra dele.

Ele não fala muito, esquece as datas importantes, que também não liga quando esquece um pouco dele. Mas está sempre ali pra uma boa farra ou pra quando a gente precisar de um momento só pra pensar. O coreto do jardim de Mariana é aquele amigo singelo que devagar ganha o coração da gente e que vai sempre estará presente nesse e em outros relatos.

Logo, se gostou de nossa história, deixe um comentário e se inscreva em nossa LISTA VIP. Dessa forma, podemos enviar textos exclusivos para você. E até mais!

Angelo Sobrinho

Capixaba de nascimento, mas marianense de criação. Autor de um dos maiores blogs de aquarismo do Brasil e agora vem contar as histórias de Minas Gerais.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *